O projecto Forvida continua a decorrer nas províncias de Luanda, Huambo e Bié. Durante o mês de Dezembro, estiveram em formação um total de cerca de 80 enfermeiros e parteiras, oriundos de igual número de unidades de saúde (postos e centros de saúde/hospitais) dos subsistemas da Igreja Católica e público em Angola.

Em Luanda foram realizados os segundos seminários de formação sobre saúde materno-infantil para enfermeiros e parteiras, subordinados aos temas “Período Pós-Parto” e “Período do Parto”, respectivamente. As formações decorreram entre 3 e 14 de Dezembro no centro de formação da Caritas Arquidiocesana de Luanda, com a participação de cerca de 40 formandos. Com estas acções de formação, fecha-se o ciclo anual de formação previsto para 2012 nesta província, com um total de 70 horas de formação por formando.

Nas mesmas datas estiveram em formação, no Huambo, 40 técnicos de saúde, enfermeiros e parteiras, das unidades de saúde das dioceses e províncias do Huambo e Bié. Os seminários de formação para enfermeiros e parteiras versaram sobre o “Período Pré-Natal”. A estes técnicos juntou-se um grupo de agentes de saúde comunitária para debaterem e explorarem temas relacionados com esta última.

Até ao final de Fevereiro 2013 – altura em que se encerra o 1º ano de projecto -, serão ainda realizadas formações para enfermeiros e parteiras em Huambo e Benguela  a que se seguirão visitas de supervisão pedagógica conduzidas pelos formadores do projecto junto dos formandos, em algumas das unidades de saúde alvo do projecto. Será igualmente iniciada a formação em gestão de saúde para os gestores/responsáveis das mesmas unidades.

O Projecto Forvida – Formação para a Vida é um projecto da Caritas de Angola e da Fundação Fé e Cooperação (FEC), em colaboração com as (Arqui)Dioceses de Luanda, Viana, Huambo, Kuíto e Benguela, e a Comissão Episcopal de Saúde da CEAST. A supervisão científica é liderada pela Escola Superior de Enfermagem de São Francisco das Misericórdias (ESESFM, Lisboa), sendo as formações acreditadas pelo Ministério da Saúde de Angola (MINSA). O Projecto Forvida é financiado pelo Camões – Instituto da Língua e da Cooperação (Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal), pela Direcção-Geral de Saúde (Ministério da Saúde de Portugal), pela Fundação Calouste Gulbenkian e pelo banco Millennium Angola.

Os objectivos fundamentais do projecto Forvida vão ao encontro dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, redução da mortalidade infantil (4) e melhoria da saúde materna (5).

Share This