Decorreu em Luanda, o 35º Conselho Geral da Caritas de Angola, nos dias 17 a 19 de Agosto, em que participaram os directores e técnicos das Caritas diocesanas de: Malange, Namibe, Saurimo, M´Banza Congo, Uíge, Luanda, Ondjiva, Benguela, Luena, Caxito, Viana, Huambo, Menongue, Kuito-Bié e Sumbe.
Na missa de abertura presidida por Dom Tirso Blanco, bispo do Luena e presidente da Caritas de Angola, destacou: “A Caritas deve demostrar aquilo que faz, para que surjam novas iniciativas; basta colocar as pessoas em comunicação que as coisas aconteçam”.
Durante o Conselho os delegados fizeram a Avaliação da implementação do Plano Estratégico (2013-2017); elaboraram o plano de acção para até o próximo Conselho a realizar-se em 2016; partilharam boas práticas das Caritas de Benguela e Caxito no âmbito de organização das Caritas Paroquias e angariação de fundos locais.
Sobre os problemas que a sociedade angolana atravessa o presidente da Caritas de Angola, salientou: “A Caritas não está vocacionada a resolver os problemas da sociedade, mas sim, colocar sinais que chamem atenção sobre determinados assuntos e em nome da caridade, é necessário responder a tantas situações que nos chamem atenção”.
Segundo o representante da Caritas Arquidiocesana de Saurimo Rosário Fernando, o grande desafio da Caritas local é: “Despertar e dinamizar nas comunidades a prática da Caridade, levando-as, a que cada uma delas cuide dos mais pobres”.
Para o representante da Caritas do Namibe Gonçalves Ngulo, a Caritas do Namibe tem como propósito “aprender outras ferramentas para a implementação de projectos; buscar as boas práticas no que concerne a angariação de fundos a nível local”.

Share This